Segurança do Trabalho

6 dicas para uma boa ergonomia no ambiente de trabalho

14/04/2023
6 dicas para uma boa ergonomia no ambiente de trabalho
Fique por dentro

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A ergonomia é uma ciência fundamental para garantir a qualidade de vida e o cumprimento das normas de segurança e medicina do trabalho. Ela é responsável por evitar doenças e lesões ocupacionais, mantendo um ambiente de trabalho seguro para todos.

Entre 2012 e 2020, o Brasil registrou 5,6 milhões de doenças e acidentes no ambiente de trabalho, o que gerou um gasto de mais de R$100 bilhões, segundo informações do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho. Esses números mostram a importância de investir em ações para o bem-estar dos funcionários.

Pensando nisso, trouxemos esse artigo para esclarecer todas as suas dúvidas sobre ergonomia, incluindo a definição, normas, benefícios e dicas para aplicação. Confira!

O que é ergonomia?

De modo geral, a ergonomia é o estudo da relação entre as pessoas e seu ambiente de trabalho. O seu principal objetivo é otimizar essa relação, melhorando o conforto e evitando lesões e doenças ocupacionais causadas pelo local de trabalho.

Pense da seguinte forma: o que acontece se alguém sentar o dia inteiro em uma cadeira desconfortável e numa posição incômoda? Essa pessoa terá dor nas costas. E é exatamente para evitar que esse tipo de coisa aconteça que existe a ergonomia.

Sua principal função é auxiliar na adequação do ambiente de trabalho às características físicas dos trabalhadores, para evitar danos à sua saúde e, como consequência, aumentar a produtividade.

Algumas das áreas cobertas pela ergonomia incluem a análise das posturas e movimentos, manuseio de equipamentos, ventilação do ambiente, a organização dos espaços, entre outros.

Dessa forma, a ergonomia é fundamental para criar um ambiente de trabalho seguro e confortável. Como resultado, os trabalhadores podem realizar suas atividades diárias de forma eficiente e sem comprometer sua saúde e bem-estar.

O que a lei brasileira diz sobre ergonomia no ambiente de trabalho?

Mais do que uma recomendação para a saúde dos funcionários, a ergonomia é uma obrigação de todas as empresas. De acordo com a NR 17, todas as empresas que possuam funcionários com vínculo empregatício precisam zelar pela saúde do trabalhador, por meio da adaptação do ambiente de trabalho às suas condições psicofisiológicas.

A Norma Regulamentadora em gestão também define regras para a carga de trabalho, mobiliário, equipamentos e condições ambientais do local. Além disso, a norma também prevê a aplicação de medidas preventivas para o controle de risco ergonômico.

Como dito, essa regulamentação é válida para todas as empresas brasileiras. Sendo assim, o seu descumprimento pode levar a multas e punições legais para a empresa, caso seja constatada a irregularidade.

Além da NR 17, há também outras duas regulamentações importantes sobre ergonomia, sendo elas:

ISO 45001

A ISO 45001 é a principal norma internacional para gestão de saúde e segurança ocupacional. No que diz respeito à ergonomia, ela define diretrizes para identificação de riscos, treinamento de funcionários, monitoramento e muito mais.

ABNT-NBR 13967/2009

Já em âmbito nacional, temos a ABNT-NBR 13967/2009, uma norma que especifica as características físicas e dimensionais dentro de uma estação de trabalho, principalmente no que diz respeito aos móveis, como mesas e cadeiras.

Tipos de ergonomia

Há diversos tipos de ergonomia, sendo que três são os principais. Eles são:

1- Ergonomia física

A ergonomia física diz respeito à adaptação do ambiente de trabalho à anatomia de cada ser humano, ou seja, como suas características físicas se adaptam à estação de trabalho.

Seus principais objetivos incluem garantir uma postura adequada, diminuir movimentos repetitivos, reduzir a tensão muscular, a fadiga e o risco de lesões relacionadas ao trabalho.

2- Ergonomia cognitiva

Esse tipo de ergonomia estuda a adaptação do ambiente de trabalho às habilidades cognitivas do trabalhador, levando em conta questões psicossociais e buscando reduzir a carga cognitiva para melhorar o desempenho.

O objetivo é desenvolver ações para redução de estresse, ansiedade, cansaço e desgaste, uma vez que essas reações podem ser tão prejudiciais para a saúde e produtividade do funcionário quanto sintomas físicos.

3- Ergonomia organizacional

A ergonomia organizacional busca melhorar a satisfação e a qualidade de vida no trabalho por meio da criação de uma cultura e clima saudáveis dentro da organização, propiciando a produtividade dos funcionários.

Para isso, é importante que o ambiente de trabalho seja adaptado às características de cada integrante da equipe. Nesse modelo, a comunicação e os feedbacks também são bem-vindos para entender o que funciona e o que precisa de ajustes.

Benefícios da ergonomia para a saúde e produtividade dos trabalhadores

A ergonomia traz uma série de benefícios para empresas que são adeptas, tanto para o seu negócio quanto para o bem-estar dos funcionários. Veja abaixo quais são essas vantagens!

1- Prevenção de lesões e doenças ocupacionais

Há uma série de lesões e doenças que podem ser causadas por problemas de ergonomia. Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), bursite, hérnia de disco, dor nas costas e doenças psicossociais são apenas alguns exemplos.

As boas práticas de ergonomia servem para evitar que esse tipo de situação ocorra, zelando pela saúde do funcionário. Isso é possível por meio da adaptação das estações de trabalho, criando ambientes saudáveis e que ofereçam o menor risco possível para a integridade física do colaborador.

2- Cumprimento das regras

Como dito anteriormente, a ergonomia é uma obrigação legal de toda empresa. Portanto, o seu não cumprimento pode levar a consequências para a organização em caso de fiscalização ou denúncia. Dessa forma, se adequar a essas regras garante que a empresa evite problemas legais, como multas ou autuações.

3- Melhoria na relação entre empresa e funcionários

Ao implementar práticas de ergonomia, a empresa mostra que se importa com o bem-estar de seus funcionários. Isso, por sua vez, colabora para a criação de uma relação mais próxima entre as duas partes, aumentando a satisfação do trabalhador.

4- Aumento na produtividade

A ergonomia reduz a carga mental e os danos físicos no trabalho, o que contribui para uma maior produtividade, além de melhorar a qualidade de trabalho, uma vez que essas funções passam a ser desempenhadas por profissionais com corpos e mentes mais saudáveis.

5- Redução de atestados médicos

Devido à grande lista de doenças causadas pela falta de ergonomia no ambiente de trabalho, é comum que isso leve a faltas e atestados médicos, algo que acaba prejudicando a empresa, principalmente no caso de cargos vitais para o funcionamento do negócio.

A partir do momento em que as boas práticas de ergonomia são postas em prática, a tendência é que essas taxas sejam reduzidas, uma vez que o ambiente de trabalho deixa de ser um agravante para a saúde do funcionário.

6- Fortalecimento da cultura de bem-estar

A adaptação do ambiente de trabalho é uma importante ferramenta para melhorar o clima da organização como um todo, envolvendo gestores e funcionários. Com isso, há uma melhoria nas relações e redução de conflitos internos, até mesmo pelos cuidados com saúde mental que também fazem parte do pacote.

7- Satisfação do trabalhador

A ergonomia organizacional contribui para uma maior satisfação no trabalho, o que pode ser uma ferramenta para diminuir a rotatividade de funcionários, garantir uma equipe mais colaborativa e melhorar o clima organizacional como um todo.

Além disso, também é importante citar a valorização profissional que é gerada pela preocupação com a saúde dos funcionários. Ou seja, o colaborador se sente parte da organização por ver que sua saúde física e mental é levada a sério naquele ambiente.

Como identificar problemas ergonômicos no ambiente de trabalho

Tão importante quanto aplicar a ergonomia no trabalho é saber identificar problemas ergonômicos que já estejam em curso, pois dessa forma é possível corrigi-los antes que os danos sejam maiores.

Por isso, veja algumas formas de identificar problemas ergonômicos:

  • Observe todos os setores da empresa e veja se os trabalhadores possuem problemas de postura, esforço físico desproporcional, uso inadequado de equipamentos, entre outros;
  • Ouça o que os trabalhadores têm a dizer, pois essa é uma das melhores maneiras de identificar problemas relacionados tanto à ergonomia quanto à comunicação e liderança;
  • Faça uma análise dos motivos de faltas e atestados e entenda quais desses casos podem ser causados por eventuais doenças ocupacionais;
  • Avalie as variáveis ambientais como iluminação, ruído, temperatura e outros relacionados à ergonomia cognitiva. Com isso, é possível identificar problemas e buscar melhoras.

Dicas para aplicar a ergonomia no ambiente de trabalho

Agora que você já sabe qual é a importância da ergonomia no ambiente de trabalho e todos os benefícios que ela pode trazer para a empresa e seus funcionários, é hora de pôr o aprendizado em prática. Para isso, siga as dicas abaixo:

1- Realize uma análise ergonômica do trabalho:

A análise ergonômica do trabalho é uma avaliação das condições atuais de ergonomia do ambiente, em relação à adequação do ambiente laboral para as psicofisiologia dos trabalhadores.

Ela é feita com base na NR-17, que fornece as diretrizes para uma aplicação efetiva, devendo ser feita por profissionais especializados em ergonomia.

2- Conheça as regras e normas regulamentadoras

Para adequar sua empresa, é essencial conhecer a fundo as regras e normas envolvidas para cumpri-las com excelência. Portanto, estudar é uma parte crucial para poder adequar o ambiente ao que é legalmente requerido.

3- Adeque o mobiliário

Todos os móveis, ferramentas e equipamentos precisam ser adequados às necessidades do funcionário. Cadeiras, mesas, computadores e outros itens precisam atender uma série de requisitos e serem ajustáveis para diferentes perfis de usuários. Essas especificações podem ser encontradas na ABNT-NBR 13967/2009.

4- Controlar as condições ambientais

Além dos móveis, as condições ambientais também são essenciais para saúde e bem-estar do trabalhador, conforme indicado pela ergonomia cognitiva. Elementos como temperatura, iluminação, umidade, ruído, entre outros podem influenciar diretamente no desenvolvimento das funções.

Sendo assim, devem ser controladas e adaptadas, prevenindo problemas de saúde e aumentando o conforto ambiente de trabalho.

5- Estabeleça uma rotina de ginástica laboral

Ginástica laboral é uma série de exercícios feitos diariamente, uma ou duas vezes durante o expediente. Os exercícios mais comuns envolvem alongamento nas áreas mais afetadas pelas atividades rotineiras, como tronco, pescoço, mãos e articulações no geral.

As sessões costumam durar cerca de 10 ou 15 minutos e devem ser feitas com orientação de profissionais capacitados para tal, uma vez que exercícios mal feitos podem gerar novas lesões.

6- Ouça os funcionários

É fundamental promover a participação dos trabalhadores na aplicação da ergonomia, e uma das melhores formas de fazer isso é ouvindo suas opiniões e sugestões para a melhoria do ambiente de trabalho. Isso pode ser feito por meio de treinamentos, workshops, palestras e outras iniciativas.

Dica extra: faça uso de um software para gestão da segurança e medicina do trabalho

Quírons é um software SaaS para gestão da segurança e medicina do trabalho que pode ajudar sua empresa em todas as demandas relacionadas à SST, incluindo a aplicação da ergonomia.

Com a mesma tecnologia e confiabilidade da NG Informática, empresa referência em softwares de gestão na América Latina, o Quírons é uma solução para controlar e gerir EPIs, laudos, agenda médica, riscos ambientais e muito mais.

Entre os principais benefícios desse sistema estão:

  • Armazenamento em nuvem e acesso remoto;
  • Dashboard completo para gestão em tempo real;
  • Atualizações automáticas;
  • Atendimento às especificações da NR-17 e outras normas regulamentadoras;
  • Suporte especializado.

Para concluir, garantir a saúde e bem-estar dos colaboradores é essencial para construir um ambiente mais seguro, além de ser uma obrigação legal de todas as empresas brasileiras. Ao aplicar as boas práticas da ergonomia, as organizações conseguem aumentar a eficiência e a produtividade dos funcionários, reduzir absenteísmo, prevenir lesões e melhorar o clima na instituição!

Quer uma ajuda extra para garantir boas condições de ergonomia e Saúde e Segurança do Trabalho com eficiência máxima? Conheça o Quírons!

plugins premium WordPress